domingo, 17 de novembro de 2013

PROGRAMA DA FÁTIMA BERNARDES DESTA QUINTA (14/11) COLOCOU CRIANÇAS DE 6 A 9 ANOS PARA ASSISTIREM A UM BEIJO GAY




Encontro mostra reação de crianças a beijo gay (Foto: Encontro com Fátima Bernardes/TV Globo)

O programa da Fátima Bernardes desta quinta (14/11) resolveu colocar crianças de 6 a 9 anos para assistirem a um beijo gay e depois filmar suas reações, com a proposta clara de doutrinar os pais sobre como abordar o assunto. Essa nova Rede Globo, dos dançarinos pelados em "Amor & Sexo", só pensa naquilo. E agora é a vez de misturar crianças com menos de 10 anos de idade e homossexualismo.



Seria leviano dizer que a Fátima Bernardes tenha qualquer noção do que está em jogo aqui, que é a erotização precoce de crianças com pitadas de engenharia social, já que não me parece alguém equipada intelectualmente para esse tipo de discussão, mas quem teve a idéia de dar essa guinada sexual na programação da Globo, incluindo às manhãs, sabe o que está fazendo.



Antes que algum mau caráter venha fazer uma leitura canalha desse post, é importante dizer que eu condeno igualmente toda erotização precoce e isso inclui a exposição de crianças a qualquer conteúdo erótico, incluindo heterossexual, mesmo que implícito ou levemente sugerido.

Há anos que o Olavo de Carvalho vêm tratando a pedofilia como a nova fronteira dos "progressistas" e eu recomendo fortemente que você dê atenção ao que ele escreve sobre o assunto.

Link do programa: "Encontro mostra reação de crianças a beijo gay de casal de Maringá" (aqui) 



"Cem anos de pedofilia" (Olavo de Carvalho) (aqui)

.

Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões Me Adicione no Facebook 

ATIVISMO GAY NO PROGRAMA “ENCONTRO” DA GLOBO EXPONDO CRIANÇAS AO BEIJO GAY

Programa “Encontro” exibe violência escandalosa contra a inocência das crianças

Família atacada até no templo

Marco Feliciano
Comentário de Julio Severo: Para ver a campanha homossexual para que crianças sejam expostas à lascívia gay, inclusive beijos gays, confira o artigo “Beijo gay: Obrigatório para crianças?” neste link: (aqui)
Violência: Globo expôs crianças à imoralidade do beijo gay
Vi há pouco uma cena chocante no “Encontro”, programa apresentado por Fátima Bernardes, da Rede Globo. A emissora segue sua campanha de promoção da homossexualidade – um ativismo de militância sindical. Nunca houve antes nada parecido. A Globo tornou-se militante gay. Existe uma diferença entre gays e militantes. A emissora faz ativismo, um tipo de discurso que tenta doutrinar a sociedade a ser favorável a prática.
A cena é a seguinte: a equipe do programa foi até uma escola do Rio de Janeiro e pediu a sete pais de crianças com idades entre 6 e 9 anos que assistissem ao vídeo de um pedido de casamento gay para ver como eles reagiriam. Depois foi a vez dos filhos assistirem ao mesmo vídeo. Isso mesmo! Pasmem, a emissora expôs as crianças a cena que – se não bastasse a intenção repulsiva – ainda exibe um beijo gay.
Poucas coisas são tão detestáveis quanto este teatro armado por Fátima em seu programa de baixa audiência. A Globo já vem usando suas novelas para educar os telespectadores sobre a diversidade sexual. No caso em questão, o discurso é o mesmo, mas o tom é ainda mais pesado: usam imagens para deturpar o pensamento das crianças. Puro merchandising da emissora a favor do sindicalismo gay, seguido da discurseira da apresentadora e seus convidados – sempre sem contraditório.
O que Fátima está a dizer é que uma criança entre 6 e 9 anos já tem discernimento para se assumir sexualmente. Tratam o debate como progressista, moderno, mas não passa de militância, de ativismo. Quais as consequências que a exposição de uma criança a este tipo de cena pode causar? Deve-se supor, a partir daí, que a intenção da emissora é que as crianças já se definam como heteros ou homo. É isso mesmo: essa gente toda, agora com o apoio da Rede Globo, está a dizer que uma criança deve ser exposta aos desvalores promovidos pela militância gay.
Pra começo de conversa, crianças não sabem o que querem, estão em fase de aprendizado e não discernem sobre estes temas sociais. Expor a inocência das crianças e pedir opinião delas sobre um tema de origem sexual é um crime. Por isso é uma ideia estúpida. Há uma diferença gigantesca entre pessoas que lutam por seus direitos e um movimento que quer transformar a sociedade e obriga-la a aderir a seus ideais – se posso chamar assim.
No caso do programa Encontro, o que se vê é uma violência escandalosa contra a inocência das crianças. Uma criança nesta faixa etária não tem ainda condições de opinar sobre este tema, qualquer especialista pode atestar isso – com exceção daqueles que chamavam o Projeto de Decreto Legislativo 234/11 de “Cura Gay”. Mas esta é outra história! O fato é que a equipe do programa promoveu uma violência contra estas crianças. Certamente motivados pelo sindicalismo gay.
Como deputado federal eu exijo que o Ministério Público questione as motivações da emissora ao expor inocentes de tenra idade desta forma. Basta assistir a reação das crianças para notar o constrangimento, repulsa e espanto das crianças.
O que a Globo fez não existe em lugar nenhum do mundo: usou de forma indevida crianças para promover o comportamento gay. Existe uma diferença entre o indivíduo homossexual e a militância gay. Tratarei isso em um livro que estou preparando. A militância gay quer impor o comportamento homossexual, enquanto o indivíduo busca apenas direitos. Ainda que eu seja contra a prática homossexual, não sou contra o indivíduo buscar os seus direitos.
O que quer essa gente? O próximo passo será expor crianças a uma cena de pedofilia para saber a opinião dos inocentes? Não se espante, não falta muito para isso acontecer. Mas concluo: crianças na primeira infância não têm personalidade desenvolvida e nem maturidade para decidir sobre estes temas.
Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:



Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões Me Adicione no Facebook 


..

Um comentário:

  1. isso só induz a convencer as crianças no erro

    ResponderExcluir